Autoridades afegãs reinauguram estádio de Ghazi, que durante governo do Taleban era usado para execuções e apedrejamentos

Seu campo, diziam, estava tão encharcado de sangue que nem grama crescia ali. Durante anos, os únicos espetáculos no Estádio Ghazi, na capital afegã, eram as execuções, os apedrejamentos e as mutilações feitas pelo Taleban, que governou o país de 1996 até 2001.

Leia também:
- Entenda por que o Afeganistão é estratégico
- Invasões e conflitos marcam história do Afeganistão

Nesta quinta-feira, milhares de jovens atletas afegãos usando uniformes de futebol, trajes de boxe e de corrida e os quimonos brancos das artes marciais foram até o estádio para celebrar sua reinauguração oficial.

A grama foi tirada e substituída por relva verde brilhante artificial, parte de uma reforma patrocinada pelos EUA.

"De todos os projetos internacionais implementados no Afeganistão, esse é o mais popular, o que desfruta do apoio de todos os afegãos", disse o presidente do Comitê Nacional Olímpico do Afeganistão, general Mohammad Zaher Aghbar, goleiro do time de futebol do Exército por cinco anos.

"O lugar que já foi usado para executar pessoas durante o governo do Taleban, e então o futebol jogado sobre o sangue deles, agora foi transformado em um local pacífico", disse.

"O esporte ajuda as sociedades a se unirem, vai reforçar nossa unidade nacional", disse Aghbar, acrescentando que estava tentando atrair equipes de futebol e boxe para eventos no Estádio Ghazi no início de 2012.

Ghazi é um título geralmente usado para descrever guerreiros muçulmanos que massacram infiéis na batalha, mas também é conferido por muitos afegãos aos que lutaram contra o Exército britânico pela independência do país no início do século 20.

Durante a cerimônia de inauguração, o comandante da Força Internacional de Assistência à Segurança (ISAF) e das tropas dos EUA no Afeganistão, o general norte-americano John Allen, e outras autoridades militares foram homenageadas com medalhas.

A nova grama artificial será certificada pela Fifa, o que permitirá que os jogos no estádio de Cabul sejam reconhecidos internacionalmente.

"É muito importante que o estádio tenha sido reformado e agora esteja pronto para uso pelos atletas. Durante os dias do Taleban era usado para coisas horríveis, e hoje seu renascimento começou. É um dia realmente positivo para o Afeganistão", disse um porta-voz da embaixada dos EUA.

Enquanto os atletas começavam a desfilar ao redor do estádio, o jornalista Zabiullah, um afegão de 58 anos que testemunhou as execuções do Taleban, apontou para o que agora é o canto da área de pênalti, marcada por linhas brancas.

"Havia um ladrão que roubou algo de seu vilarejo. Eles cortaram a mão dele, bem aqui", disse.

"Um homem e uma mulher mantinham relações sexuais ilegais. Foram pegos, trazidos para cá, receberam 100 chicotadas e a ordem de se casarem... Também vi pessoas sendo degoladas ou mortas a tiros. Os afegãos nunca esquecerão essas más lembranças. Agora, homens e mulheres, meninas e meninos, podem assistir a um jogo pacífico juntos."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.