Publicidade
Publicidade - Super banner
Mundo
enhanced by Google
 

Estação permitirá à China antecipar terremotos

Xangai (China), 9 dez (EFE).- A China construirá no início do ano que vem, em Xangai, sua primeira estação de observação sismológica do fundo do mar, da qual poderá prever terremotos com sete segundos de adiantamento, e tsunamis com várias horas de margem, informou hoje a imprensa chinesa.

EFE |

A estrutura se construirá a cerca de 20 quilômetros de distância do litoral de Xangai, segundo contou Wang Pinxian, da Academia Chinesa das Ciências e professor do Laboratório Nacional de Geologia Marinha da Universidade de Tongji, na mesma cidade.

A estação, cujas instalações terá cerca de 4 quilômetros quadrados, "ficará no solo do oceano, o que a deixará livre das limitações e alterações das ondas", explicou Wang ao jornal local "Shanghai Daily".

Um tubo metálico situado no leito marinho, próximo à ilha de Zhoushan, na província oriental chinesa de Zhejiang, estará conectado, a 300 metros de profundidade, a cabos com sensores que se estenderão ao longo de centenas de quilômetros.

As autoridades calculam que cada quilômetro deste cabo srepresente um custo de 2s milhões de iuanes (cerca de 225.946 euros, US$ 290.810).

Uma base de observação situada ao leste de Xangai será a encarregada da análise dos dados, além de outra próxima à ilha de Huaniao, próximo à ponte Donghai que ligaa ilha de Yangshan, onde se constrói o que será o maior porto de águas profundas do mundo, a Xangai.

Quando finalizarem as obras da estação de observação os cientistas poderão seguir em tempo real a atividade sísmica da área.

Xangai se encontra no delta do rio Yang Tsé, situado fora da região de maior atividade sísmica do país, e não sofreu um desastre deste tipo nos últimos cinco séculos.

No entanto, em 2006 criou uma equipe de resgate especializada em terremotos e as autoridades locais anunciaram a construção de 50 refúgios de emergência para antes de 2010.

O Japão já construiu estações de observação sismológica que permitem aos cientistas prever terremotos sob o mar com o mesmo adiantamento, sete segundos antes que ocorram. EFE alv-jad/jp

Leia tudo sobre: iG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG