Segundo socialistas, partido obteve maioria absoluta da Casa pela 1ª vez em mais de 50 anos e 7 meses antes de eleição presidencial

A esquerda francesa anunciou ter garantido a maioria absoluta no Senado, que ficou sob controle da direita por mais de 50 anos, ao vencer eleições neste domingo. O resultado, a sete meses antes da eleição presidencial, é uma derrota para o presidente conservador Nicolas Sarkozy.

Os resultados oficiais da votação para preencher metade das cadeiras do Senado em um votação no Senado ainda não foram divulgados, mas o líder do grupo Socialista francês no Senado, Jean-Pierre Bel, anunciou a vitória.

De acordo com Bel, seu partido obteve as 23 cadeiras suplementares de que precisava para conquistar a maioria absoluta na Câmara Alta do Parlamento. Neste domingo, 170 das 348 cadeiras do Senado estavam em jogo em eleições indiretas, por maioria ou de forma proporcional.

"Pela primeira vez, a esquerda domina" o Senado, festejou o líder dos senadores socialistas, que deve suceder ao atual presidente da casa, Gérard Larcher, do partido conservador UMP, de Sarkozy.

Bel não informou se os números eram projeções. Apesar isso, Larcher reconheceu que a esquerda obteve "um grande avanço, maior do que pensávamos". Além disso, a porta-voz do governo conservador, Valérie Pécresse, reagiu ao anúncio do Partido Socialista afirmando que "sentia" por Larcher e pelos senadores governistas.

A mudança no Senado não representa um problema real para o governo Sarkozy, já que a Constituição francesa concentra os poderes legislativos na Assembleia Nacional, a Câmara Baixa do Parlamento.

Mas o presidente do Senado é o segundo homem do Estado francês, pois substitui o presidente da República em caso de ausência e acompanha o chefe de Estado em todos os atos institucionais.

*Com AFP e AP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.