O fogo cruzado entre os pré-candidatos democratas à Casa Branca Hillary Clinton e Barack Obama aumentou nesta segunda-feira, na véspera da primária da Pensilvânia, apesar da vantagem de entre 6 e 10 pontos da ex-primeira-dama nas pesquisas.

Hillary Clinton lançou hoje uma nova propaganda na televisão, que inclui imagens do ataque japonês a Pearl Harbor, da crise dos mísseis em Cuba, em 1962, e de Osama bin Laden.

"É o trabalho mais difícil do mundo" e "devemos estar dispostos a tudo", diz uma legenda que aparece em branco sobre fundo preto. O anúncio de 30 segundos também foi divulgado no YouTube.

"Devemos estar dispostos a tudo, principalmente agora que estamos envolvidos em duas guerras, que os preços do petróleo disparam e que a economia está em crise", insiste uma voz sobre imagens de catástrofes.

Em outra legenda, é repetida uma célebre fórmula do ex-presidente Harry Truman: "Se alguém não suporta o calor, que saia da cozinha".

"Quem, para vocês, reúne o perfil?", pergunta a voz, segundos antes da imagem final: uma foto de Hillary.

O porta-voz de Obama, Bill Burton, reagiu lembrando que Hillary Clinton votou a favor da autorização solicitada pelo presidente George W. Bush para ir à guerra no Iraque, conflito que diluiu os esforços no Afeganistão "e permitiu que Osama bin Laden escapasse para reorganizar sua rede terrorista".

"É paradoxal que peça emprestadas as táticas do presidente para sua própria campanha e invoque Bin Laden para alcançar objetivos políticos", comentou Burton sobre a propaganda de Hillary.

"Já temos um presidente que aposta na política do medo, e não precisamos de outro", afirmou.

No domingo, durante um comício em Reading, o senador por Illinois acusou Hillary Clinton de empregar uma estratégia "de esgoto". "Ela aprendeu as más artes dos republicanos para adotar suas táticas".

Segundo várias pesquisas publicadas hoje, Hillary vence na Pensilvânia com entre seis e dez pontos de vantagem.

A sondagem da Universidade de Suffolk (Massachusetts) dá a Hillary 52%, contra 42% para Obama, já a Universidade de Quinnipac aponta que a ex-primeira-dama tem 51%, contra 44% para Obama.

Uma terceira pesquisa, Newsmax/Zogby, prevê que Hillary Clinton terá 48%, contra 42% para Obama.

Um fracasso de Hillary na Pensilvânia enterraria suas ambições presidenciais, e uma derrota fragorosa de Obama teria sérias consequências para sua campanha.

Depois da Pensilvânia, o próximo round democrata ocorrerá no dia 6 de maio, em Indiana e Carolina do Norte.

aje/ap/LR

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.