Esquadrão solta australiana que ficou 10 horas presa à suposta bomba

Segundo jornal local, homem teria invadido residência e colocado explosivos no pescoço de jovem de 18 anos

iG São Paulo |

Um esquadrão antibomba australiano conseguiu soltar em segurança uma adolescente que ficou dez horas presa perto de um dispositivo suspeito nesta quarta-feira, criando um mistério sobre quem colocou o objeto na casa da mulher em um bairro de luxo em Sydney e por quê.

Reuters
Policiais são vistos próximo à casa em Sydney onde mulher estaria com bomba

A polícia ainda não sabe se o dispositivo é explosivo, mas procuram o suspeito de tê-lo colocado na residência em Mosman, um dos bairros mais ricos da cidade, disse Mark Murdoch, comissário assistente da polícia do Estado de New South Wales. "Queremos colocar nossas mãos em quem fez isso", disse.

A polícia se recusou a confirmar relatos de que o aparelho havia sido amarrado ao corpo da mulher de 18 anos. Os oficiais disseram não considerar o episódio um caso de autodano, afirmando que a adolescente tentou ajudar a polícia desde que a chamou para sua casa às 14h30 locais. Sem dar detalhes, Murdoch afirmou que o dispositivo suspeito estava perto da adolescente e intacto até ela ser solta.

"A maneira como estava localizado perto da jovem era tal que fez com que demorássemos muito para assegurar sua liberação", disse o oficial, que também afirmou que o dispositivo era "muito elaborado e sofisticado".

Segundo o oficial, a garota está bem e com seus pais no momento. Eles haviam sido mantidos fora da casa durante o dia para sua própria proteção. A adolescente foi levada a um hospital para ser examinada, afirmou a polícia. "Ela está bem. Ela foi mantida em uma posição muito desconfortável", disse Murdoch.

Segundo o jornal australiano Sydney Morning Herald, a jovem afirmou que um homem usando uma máscara entrou em sua casa e amarrou a bomba ao seu corpo na tarde desta quarta-feira. Equipes de emergência retiraram os moradores de casas próximas e várias ruas foram isoladas. Ambulâncias e equipes dos bombeiros foram para o local.

Roger White, um jornalista da rádio 2UE, de Sydney, disse ter informações de que havia um pedido de resgate envolvido no caso: "Entendemos que o dispositivo foi colocado em volta do pescoço (da jovem), com um bilhete pedindo resgate preso a ele, por alguém que invadiu a casa e foi embora", disse o jornalista.

*Com AP e BBC

    Leia tudo sobre: austráliapolíciabombasydney

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG