Esposa de Zelaya denuncia intimidação da Polícia hondurenha

Caracas, 29 jul (EFE).- Xiomara Castro de Zelaya, esposa do presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya, denunciou hoje ser vítima de intimidação pelas forças policiais do Governo hondurenho de Roberto Micheletti, às quais acusou de impedir sua chegada à fronteira com a Nicarágua.

EFE |

Em entrevista por telefone à televisão estatal venezuelana "VTV", Xiomara disse que, esta madrugada, civis e policiais simpatizantes aos "golpistas" hondurenhos fizeram "disparos" contra o hotel onde está hospedada junto com a família na localidade venezuelana de El Paraíso.

Essas pessoas também exigiram que saísse dessa localidade hondurenha, na qual há um toque de recolher ampliado, e aonde chegou junto com sua família como parte do percurso para a fronteira com a Nicarágua para encontrar-se com o esposo, que permanece nesse país vizinho.

Zelaya disse que organiza a partir da Nicarágua a "resistência" para retomar o Governo de Honduras, de onde foi retirado por um golpe de Estado em 28 de junho.

Xiomara disse que, em El Paraíso, foi notificada pelas autoridades de que podia seguir caminho à fronteira sozinha, sem a família ou grupos de simpatizantes de Zelaya que a acompanham, o que ela rejeitou.

"Diante disso, dissemos que, se as pessoas (que apoiam o presidente deposto) não nos acompanhassem, que era a garantia que tínhamos, não iríamos à fronteira", disse a esposa de Zelaya.

Sobre a medida americana de retirar o visto de quatro funcionários do Governo de Micheletti, a esposa do deposto governante hondurenho falou que era uma ação oportuna e indicou a necessidade de que Washington aumente a pressão sobre os "golpistas". EFE gf/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG