Espiões cubanos deram assessoria a Chávez, mostra WikiLeaks

Documento de diplomata americano em Caracas revela que inteligência venezuelana compete com Cuba por atenção de líder da Venezuela

Reuters |

Os serviços de inteligência cubanos prestaram assessoria direta ao presidente da Venezuela, Hugo Chávez, como parte daquilo que um diplomata americano chamou de "Eixo da Travessura", segundo uma comunicação sigilosa divulgada pelo site WikiLeaks .

A comunicação diplomática dos EUA, datada de 2006 e divulgada nesta quarta-feira, revela a preocupação de Washington com a influência cubana na Venezuela, um dos principais fornecedores de petróleo para o mercado americano.

"Embora o impacto econômico dos cubanos trabalhando na Venezuela possa ser limitado, a inteligência cubana tem muito a oferecer para os serviços de inteligência antiamericanos da Venezuela", diz a comunicação postada no site do WikiLeaks.

Em seus 12 anos como presidente da Venezuela, Chávez estabeleceu uma forte aliança com o regime comunista cubano, subsidiando a venda de petróleo ao país em troca do envio de milhares de médicos e consultores cubanos para a Venezuela.

Ele criou milícias semelhantes às existentes em Cuba para defender seu governo, e especialistas há muito tempo dizem que os serviços cubanos de inteligência treinam seguranças de Chávez.

O novo documento sugere que Chávez confia nas informações cubanas quase mais do que nos seus próprios serviços de inteligência. "Os agentes cubanos de inteligência têm acesso direto a Chávez e frequentemente lhe fornecem informações que não são verificadas por agentes venezuelanos", diz o documento.

"Relatos estratégicos indicam que os laços de inteligência entre cubanos e venezuelanos são tão avançados que as agências dos dois países parecem estar competindo entre si pela atenção da RBV (República Bolivariana da Venezuela)."

A comunicação é parte dos mais de 250 mil documentos do Departamento de Estado que o WikiLeaks vem divulgando nesta semana em seu site ou por meio da imprensa. O site não revela como obteve os documentos.

Essa comunicação havia sido considerada sigilosa pelo seu autor, o então conselheiro político da embaixada dos EUA em Caracas, Robert Downes.

O título do relatório era "O Eixo da Travessura Cuba/Venezuela: a Visão de Caracas", numa aparente referência ao "Eixo do Mal", expressão criada pelo ex-presidente George W. Bush para se referir a três inimigos dos EUA - Coreia do Norte, Irã e o Iraque do ditador Saddam Hussein.

    Leia tudo sobre: euawikileaksvenezueladocumentos diplomáticos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG