Espião nuclear israelense tem pena reduzida por razões de saúde

Um tribunal de Jerusalém decidiu nesta terça-feira reduzir a pena do chamado espião-nuclear, Mordehai Vanunu, de seis para três de prisão por razões de saúde e porque já não é considerado um perigo para a segurança do país.

AFP |

Mordehai Vanunu foi condenado em abril de 2007 a doze meses de prisão, seis deles com sursis, por ter violado em 15 ocasiões a proibição de falar à imprensa.

O cumprimento da pena não começou porque estava pendende o recurso.

Vanunu, de 54 anos, antigo técnico da central nuclear de Dimona (sul de Israel), foi libertado em abril de 2004 depois de 18 anos de prisão por revelar os segredos de Israel no campo nuclear ao jornal Sunday Times de Londres.

Depois de ficar livre, foi proibido de deixar Israel ou entrar em contato com estrangeiros, principalmente jornalilstas, sem pedir permissão.

cad/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG