Uma equipe internacional de biólogos descobriu várias espécies marinhas não catalogadas na Grande Barreira de Corais da Austrália, anunciaram nesta quinta-feira nos Estados Unidos membros do projeto de censo das espécies marinhas.

As três expedições, realizadas nas ilhas Lezard e Heron e no recife de Ningaloo, levaram à atualização de 300 espécies de corais moles, das quais metade ainda não havia sido catalogada. Além disso, foram encontradas dezenas de famílias de pequenos crustáceos, muitas delas aparentemente desconhecidas por completo.

"Ficamos muito surpresos e entusiasmados por ter descoberto uma variedade tão ampla de vida marinha jamais descrita, principalmente de corais moles, isópodos, crustáceos novos e vermes, e isso em águas de fácil acesso e freqüentemente visitadas por mergulhadores", comemorou Julian Caley, pesquisador do Instituto Australiano de Ciência Marinha (AIMS, na sigla em inglês), que participou das expedições.

"Em comparação com o que ignoramos, nossos conhecimentos sobre a vida marinha representam apenas uma gota d'água no mar, e fazer o inventário da vasta diversidade e da abundância das espécies vivas nos oceanos é um desafio tanto para a ciência quanto para a imaginação", afirmou.

Nos próximos três anos, novas expedições serão organizadas nos mesmos locais para dar continuidade à catalogação das espécies e medição do impacto das mudanças climáticas e outros fatores no ambiente marinho.

"Os corais enfrentam ameaças que vão da acidificação, poluição e aquecimento das águas à pesca ostensiva", lembrou Ian Poiner, diretor do AIMS.

js/ap

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.