Especialistas exigem mais controle sobre alimentos estragados nos EUA

Washington, 8 jul (EFE).- Um grupo de especialistas em saúde pediu hoje às autoridades dos Estados Unidos que controlem melhor a cadeia de distribuição dos alimentos frescos para evitar infecções como o recente surto de salmonela, que afetou quase mil pessoas.

EFE |

O Instituto de Saúde Pública da Universidade George Washington adverte em seu último relatório que o processo de produção, processamento, transporte, distribuição e preparação dos alimentos naturais requer um maior controle sanitário para evitar esse tipo de contágio.

A instituição recomenda reforçar as medidas de importação dos produtos frescos, como frutas, verduras e hortaliças; estimular as empresas a tomarem consciência de sua responsabilidade no processo; e que sejam fornecidos mais recursos à Agência de Alimentos e Medicamentos (FDA, em inglês).

O relatório lembra que foram registrados mais de 943 casos de salmonela em 40 estados e no Distrito de Columbia desde meados de abril, cujo principal foco, suspeita-se, foi causado por tomates crus.

No entanto, este é só o último de uma série surtos recentes de intoxicação associados à ingestão de frutas ou verduras em mau estado em alguma das etapas do processo "da fazenda à mesa", defende o documento.

Segundo o Center for Science in the Public Interest, entre 1990 e 2005 ocorreram pelo menos 713 surtos similares que afetaram milhares de americanos.

Neste período, os tomates foram a causa de 24 destes surtos e pelo menos 3 mil americanos sofreram com suas conseqüências.

A maioria dos infectados com a bactéria da salmonela tem diarréia, febre e dor abdominal durante quatro a sete dias.

A doença pode ser letal, especialmente entre crianças, idosos e pessoas com um nível baixo de defesas. EFE elv/bm/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG