Especialistas afirmam que sul-africano morto no Rio não foi vítima do arenavírus

Especialistas sanitários da África do Sul afirmaram nesta terça-feira que a misteriosa doença que matou um sul-africano no Brasil nesta semana não tem relação com um recente surto de arenavírus em Johanesburgo.

AFP |

O engenheiro sul-africano William Charles Erasmus, de 53 anos, que faleceu na terça-feira no Rio de Janeiro, havia sido operado em meados de outubro em um hospital de Johanesburgo, onde foram tratados vários pacientes da epidemia de arenavírus, que matou quatro pessoas.

No entanto, o Instituto Nacional Sul-Africano de Doenças Contagiosas, que trabalha junto com as instituições sanitárias brasileiras, indicou que é pouco provável que o homem estivesse infectado com o mesmo vírus.

"Ele não teve contato com nenhum dos pacientes que sofriam da doença do arenavírus", disse Lucille Blumberg, subdiretora do instituto.

"O lapso de tempo entre qualquer exposição ao vírus até o desenvolvimento dos sintomas é inferior a 21 dias, e o lapso entre sua internação aqui e o desenvolvimento da doença que o matou é superior a este período", afirmu Blumberg em um comunicado.

Os exames para arenavírus realizados nos Centros para Controle e Prevenção de Doenças de Atlanta, Estados Unidos, "excluem definitivamente esse diagnóstico", disse Blumberg.

O Ministério da Saúde do Brasil informou que um sul-africano de 53 anos morreu na terça-feira no Rio de Janeiro em decorrência de uma doença febril hemorrágica que as autoridades brasileiras não conseguiam identificar.

Segundo a mesma fonte, investigações preliminares indicavam que o homem, que chegou ao Brasil no dia 23 de novembro, morreu por causa de um vírus denominado "arenavírus" que "pode ser transmitido por contato direto com secreções ou sangue de roedores ou de pacientes infectados".

"A avaliação preliminar já descartou a possibilidade de dengue, malária e ebola. Também serão investigadas outras hipóteses como leptospirose, hantavirus e hepatite", informaram as autoridades brasileiras.

jg/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG