Especialista calcula que China censura 95% dos "blogs"

Governo é um dos mais rígidos do mundo, proibindo o acesso a sites de vídeos ou redes sociais

EFE |

Pequim - Um especialista na internet e famoso "blogueiro" chinês calcula que o regime comunista elimina diariamente 95% dos conteúdos que são publicados nos 220 milhões de "blogs" existentes no país asiático. Em declarações publicadas hoje pelo jornal "South China Morning Post", Isaac Mao Xianghui, membro do Centro Berkman da internet e Sociedade da Universidade de Harvard (EUA), calcula que este é a percentagem eliminado pelos censores chineses a cada dia.

Mao toma como base os dados que foram publicados na terça-feira passada pelo próprio Conselho de Estado chinês (órgão executivo), que assinala que 66% dos mais de 400 milhões de internautas chineses deixam diariamente 3 milhões de mensagens em "blogs" e outros foros de internet. Segundo os estudos de Mao, um "blogueiro" ativo costuma deixar 0,5 comentário diários, por isso que o número real deveria ser de 72,6 milhões, e não 3 milhões, como assegura o Governo.

"A diferença entre os dois dados revela que 95,9% dos comentários são eliminados no processo de censura", explicou Mao, em referência ao empenho do regime chinês para frear a liberdade de expressão no maior mercado de internet do planeta. Os conteúdos na rede aumentaram 124 vezes desde que Mao começou a trabalhar na internet, no ano 2002, e até 2008.

"Os internautas são como ratos e o mecanismo de censura é um gato. Há muitos ratos e o gato não sabe qual caçar", assegurou o especialista em um fórum sobre internet na Ásia Pacífico. A rede chinesa é uma das mais censuradas do mundo, já que impede o acesso a servidores de vídeo como YouTube, ou redes sociais como Facebook e Twitter, alguns dos exemplos de uma longa lista de proibições que se amplia diariamente.

    Leia tudo sobre: iGchinainternet

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG