Espanhóis podem ajudar Argentina a identificar desaparecidos

Buenos Aires, 14 out (EFE).- O presidente do Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE) e da Junta da Andaluzia (sul da Espanha), Manuel Chaves, ofereceu hoje ao Governo argentino colaboração para a identificação genética de pessoas desaparecidas.

EFE |

Chaves, que completou hoje o quarto e último dia de sua visita oficial à Argentina, expôs a oferta de colaboração ao chefe do Gabinete de ministros argentino, Sergio Massa, durante reunião na Casa Rosada.

Ao fim do encontro, o presidente regional explicou que propôs a Massa a colaboração do Laboratório de Identificação Genética da Universidade de Granada (sul), que tem 18 anos de experiência na identificação de restos e colabora com outros países da região, como Guatemala e Chile.

O presidente regional apontou a possibilidade de criar um "banco genético" que facilitaria não só a identificação de desaparecidos durante a última ditadura militar argentina (1976-1983), mas de vítimas de seqüestro ou de violações dos Direitos Humanos.

Além disso, Chaves manifestou a Massa sua vontade de aumentar a cooperação no marco dos atos do bicentenário da independência, que se acontecerão em 2010.

"Houve boa receptividade, agora depende deles", comentou em declarações a um grupo de jornalistas espanhóis.

Chaves pediu também a Massa que transmita à presidente argentina, Cristina Fernández de Kirchner, seu convite para que visite a Comunidade Autônoma da Andaluzia, durante viagem oficial à Espanha previsto para fevereiro.

O presidente regional se reuniu hoje com empresários e com o prefeito da capital, o conservador Mauricio Macri.

Manuel Chaves viajará esta noite ao Paraguai, penúltima etapa de sua excursão sul-americana, que concluirá na sexta-feira no Uruguai.

EFE mar/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG