Espanha transmite "severa" mensagem ao Irã sobre programa nuclear

Nações Unidas, 3 mai (EFE).- Miguel Ángel Moratinos, ministro de Assuntos Exteriores da Espanha, país que exerce a Presidência da União Europeia (UE), se reuniu hoje com seu colega iraniano, Manouchehr Mottaki, a quem transmitiu uma "severa" mensagem sobre as obrigações de Teerã em matéria de não-proliferação nuclear.

EFE |

Nações Unidas, 3 mai (EFE).- Miguel Ángel Moratinos, ministro de Assuntos Exteriores da Espanha, país que exerce a Presidência da União Europeia (UE), se reuniu hoje com seu colega iraniano, Manouchehr Mottaki, a quem transmitiu uma "severa" mensagem sobre as obrigações de Teerã em matéria de não-proliferação nuclear. "Transmiti a ele uma mensagem severa, de unidade de toda a comunidade internacional, e em particular de toda a União Europeia, que tem de cumprir as obrigações do Conselho de Segurança" das Nações Unidas, disse Moratinos na saída de uma reunião com o chefe da diplomacia iraniana. O encontro entre os dois chanceleres ocorreu paralelo à sessão inaugural da 8ª conferência de revisão do Tratado de Não-Proliferação (TNP), do qual Espanha e Irã são países signatários. Moratinos disse que, na reunião, também expressou a Mottaki a necessidade de que o Irã aceite a proposta da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) de aceitar a troca de combustível nuclear, enviando seu urânio ao exterior e recebendo-o de volta enriquecido, evitando dúvidas sobre a natureza de seu programa nuclear. "Não podem perder mais tempo, têm de responder às claras, sem ambiguidades. Se o fazem assim, logicamente a UE e a Espanha responderão. Mas, se não, a comunidade internacional terá de tomar medidas", acrescentou. A presença do presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, na conferência foi o centro das atenções neste primeiro dia de fórum de desarmamento, que tem como objetivo aprofundar a implementação do TNP. Moratinos, como representante da Presidência rotativa da UE - exercida pela Espanha neste semestre -, discursará na sessão da tarde deste dia de abertura. Em declarações à imprensa, o chanceler antecipou que, em seu discurso, defenderá a adoção de medidas concretas nos três pilares do tratado - redução dos arsenais, não-proliferação e uso pacífico da energia nuclear. EFE jju/sa

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG