Espanha prende acusado de mandar matar chefe para evitar demissão

A polícia da Catalunha, no nordeste da Espanha, prendeu um homem acusado de mandar matar seu chefe por medo de ser despedido.

BBC Brasil |

Manuel M.B., diretor do setor audiovisual do Centro de Convenções Internacionais de Barcelona (CCIB), foi preso sob acusação de encomendar o assassinato de Félix Martínez Touriño, seu superior no trabalho.

O homem acusado de executar o crime, de nacionalidade colombiana, e outras seis pessoas consideradas "colaboradoras" também estão na cadeia.

O caso vem atraindo a atenção da imprensa espanhola, da qual já recebeu o apelido de "crime de Santaló", porque ocorreu em plena luz do dia, em uma manhã de fevereiro na movimentada Rua Santaló, em Barcelona.

Um porta-voz da polícia catalã, Mossos d'Esquadra, disse à BBC Brasil que o caso também tem gerado reações em virtude da "razão banal" para o crime.

"O mandante encomendou a morte de Martínez Touriño diante da possibilidade de perder o emprego em um processo de reestruturação à vista. Ou seja, não se tratava sequer de uma possibilidade concreta", afirmou o porta-voz.

O incidente ocorreu no dia 9 de fevereiro e, segundo os jornais, deixou em comoção o setor turístico catalão, onde Martinez Touriño era respeitado.

O assassino seguiu Touriño às primeiras horas do dia, aproximou-se dele em uma das esquinas da Rua Santaló e disparou nele um tiro na cabeça.

A imprensa espanhola menciona que Manuel M. B. pagou 12 mil euros pelo "serviço", mas a polícia evita confirmar a quantia, alegando que não o faz em casos de assassinato por encomenda.

Leia mais sobre assassinato

    Leia tudo sobre: assassinatocrimesespanha

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG