Espanha pede calma no debate sobre biocombustíveis

O presidente do governo espanhol, José Luis Rodriguez Zapatero, pediu nesta sexta-feira calma no debate sobre os biocombustíveis, e considerou que seu peso sobre a disparada dos preços dos alimentos não é tão evidente, durante a V Cúpula entre Europa, América Latina e Caribe, realizada em Lima.

AFP |

"Acredito que é um pouco cedo para este debate sobre o impacto da produção de biocombustíveis no aumento dos preços dos alimentos", declarou Zapatero em entrevista coletiva.

O tema "ocupa uma parte importante dos debates da conferência" dos dirigentes europeus e latino-americanos em Lima. Este assunto "deverá mobilizar os chefes de Estado e de governo" na próxima reunião da Organização para a Agricultura e a Alimentação das Nações Unidas (FAO).

"Estamos diante de um dos desafios mais importantes das últimas décadas", sentenciou, ao se referir à crise provocada pela alta dos preços dos alimentos. "No entanto, penso que o debate sobre a relação entre os biocombustíveis e o preço dos alimentos tem que acontecer num contexto mais calmo. Do meu ponto de vista, esta relação não é tão evidente".

Na inauguração da conferência, o presidente peruano, Alan Garcia, pediu aos dirigentes "metas concretas" nos setores da alimentação e do meio ambiente.

Na véspera do início da cúpula, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, grande defensor do etanol, lançou um apelo à busca de consensos sobre temas como o combate ao aquecimento global, a energia e a crise alimentar.

ym/yw/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG