Espanha oferece 24,5 milhões de euros para reconstrução em Cuba

Madri, 14 out (EFE).- O Governo espanhol ofereceu hoje a Cuba um plano de ajuda de 24,5 milhões de euros para reconstruir as regiões afetadas pelos furacões Ike e Gustav e renegociar a dívida comercial que tem com a Espanha para favorecer o processo de reformas e os investimentos na ilha.

EFE |

O ministro de Assuntos Exteriores espanhol, Miguel Ángel Moratinos, anunciou as medidas em entrevista coletiva conjunta com o chanceler cubano, Felipe Pérez Roque, que realiza hoje uma visita oficial à Espanha.

Moratinos disse que o programa de apoio humanitário terá vigência de dois anos e será destinado principalmente a recuperar imóveis, explorações agrícolas e infra-estruturas básicas.

A secretária de Estado de Cooperação Internacional espanhola, Soraya Rodríguez, viajará na sexta-feira a Havana para definir as bases do plano com as autoridades cubanas.

Pérez Roque agradeceu a solidariedade mostrada pelo Governo e o povo espanhóis perante a catástrofe dos furacões em Cuba.

A passagem de "Ike" e "Gustav" provocou perdas superiores a US$ 5 bilhões, afetou quase 500 mil casas e arrasou um terço das áreas agrícolas, além de matar sete pessoas e desabirgar mais de 3 milhões, lembrou o chanceler.

Sobre a negociação da dívida comercial, Moratinos disse que o pedido de Cuba não é o perdão, mas que seja "reestruturada" para poder começar a pagá-la o mais rápido possível.

O ministro não revelou o montante da dívida, que superava 1,7 bilhão de euros no início de 2007.

O Executivo espanhol também aceitou outra solicitação de Pérez Roque de conceder uma linha de créditos a curto prazo com valor entre 50 milhões e 100 milhões de euros para fazer frente às necessidades mais urgentes de Cuba.

Esta ajuda creditícia será estudada com os Ministérios da Economia e Fazenda, e da Indústria, Turismo e Comércio espanhóis; por isso, uma delegação cubana se deslocará a Madri na próxima semana.

Pérez Roque também se encontrou hoje com a primeira vice-presidente do Governo da Espanha, María Teresa Fernández de la Vega, e será recebido pelo rei Juan Carlos. EFE cpg/wr/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG