Bruxelas, 8 dez (EFE).- O ministro de Relações Exteriores espanhol, Miguel Ángel Moratinos, negou hoje que seu país esteja disposta a liderar uma missão da União Européia (UE) na República Democrática do Congo (RDC), embora não descarte apoiar um eventual envio de tropas.

"Liderar claro que não, seria uma missão européia, mas vamos discutir (o envio de tropas) e ver qual é o sentido geral dos 27", disse Moratinos na abertura de um Conselho de Assuntos Gerais e Relações Exteriores da União Européia.

Ele lembrou que uma eventual missão européia na RDC até a chegada de reforços da ONU é "um dos pontos mais importantes da ordem do dia", depois do pedido formal neste sentido que fez na sexta-feira o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon.

Ficaria ainda por determinar se esta operação seria própria da UE ou estaria sob o mandato da já estabelecida pela ONU na zona (Monuc).

Até agora, só França e Bélgica se mostraram claramente a favor de enviar um reforço militar à Missão das Nações Unidas na República Democrática do Congo (Monuc) para tentar frear a crise humanitária na antiga colônia belga. EFE met/jp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.