Espanha nega pedido de asilo político a filho de Bin Laden

MADRI - O Ministério do Interior da Espanha confirmou nesta quarta-feira ter negado o pedido de asilo político a um dos filhos de Osama Bin Laden, que não teria apresentado motivos suficientes para a concessão. A razão alegada pelo ministério coincide com a citada pelo órgão de assistência a refugiados da ONU, o Acnur, que considera que o requerente não é alvo de perseguição em outro país.

Reuters |

A partir da negação, Omar Bin Laden tem um prazo de 24 horas para solicitar a revisão de seu caso, e se assim for, o ministério deverá responder nas próximas 48 horas, segundo confirmaram fontes do Interior.

Omar Bin Laden, de nacionalidade saudita, havia solicitado asilo depois de desembarcar na segunda-feira no aeroporto de Barajas, em Madri, em uma escala de um vôo precedente do Cairo e com destino ao Marrocos. Ele continua na sala dos não-admitidos a espera da decisão das autoridades.

O ministro do Interior, Alfredo Pérez Rubalcaba, confirmou na terça-feira que o governo se limitaria a cumprir a lei e que anunciaria a decisão em um prazo de 72 horas depois de receber um relatório preceptivo e obrigatório da Acnur, embora este não seja vinculante.

Diversas informações apontavam também que o filho de Bin Laden havia solicitado em uma ocasião anterior um pedido de asilo em uma embaixada britânica no Cairo. A solicitação também não foi atendida.

Em entrevistas concedidas no passado, Omar Bin Laden se definiu como o "filho pacifista" de Osama Bin Laden.

Osama Bin Laden, o homem mais procurado do mundo, é acusado de promover os ataques de 11 de setembro de 2001, que deixaram quase 3 mil mortos em Nova York e Washington.

Leia mais sobre: Osama Bin Laden

    Leia tudo sobre: osama

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG