Espanha, México e Argentina exigem restituição de Zelaya antes de eleições

Nações Unidas, 24 set (EFE).- O chefe do Governo espanhol, José Luis Rodríguez Zapatero, se reuniu hoje com os presidentes do México, Felipe Calderón, e da Argentina, Cristina Fernández, e os três concordaram em que não pode haver eleições em Honduras sem antes o presidente constitucional, Manuel Zelaya, ser restituído.

EFE |

Segundo fontes do Executivo espanhol, a reunião dos três governantes tinha como objetivo coordenar suas posições perante a cúpula do Grupo dos Vinte (G20, os países ricos e os principais emergentes), que começa hoje em Pittsburgh (EUA), mas aproveitaram a ocasião para analisar a crise hondurenha.

Na opinião dos três líderes, segundo estas fontes, é necessário que Zelaya seja restituído no cargo antes das eleições presidenciais previstas para 29 de novembro.

Apoiaram também a decisão adotada ontem pela Organização dos Estados Americanos (OEA) e pela União Europeia (UE) para que os embaixadores retornem a Tegucigalpa, tanto como gesto de solidariedade em relação ao Brasil, cuja embaixada abriga Zelaya, quanto para apoiar o início de um diálogo.

Uma missão de chanceleres da OEA tem intenção de viajar em breve a Honduras para preparar essa mesa de negociação, que, segundo Zapatero, Calderón e Cristina, deve servir para voltar a uma situação de legitimidade constitucional e permitir que as eleições ocorram com normalidade democrática.

Os três apoiaram também o pedido do Brasil de convocar o Conselho de Segurança das Nações Unidas para defender a integridade de sua missão diplomática em Tegucigalpa, acrescentaram as fontes do Executivo espanhol.

Não se pode permitir, destacaram, que a situação extrapole e que a imunidade da embaixada brasileira seja violada. EFE nl/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG