Valência (Espanha), 14 jan (EFE).- A Direção Geral de Instituições Penitenciárias espanhola investiga a realização de um espetáculo erótico na prisão de Picassent, em Valência, no qual uma dançarina fez um striptease para cerca de 300 presos.

O sindicato espanhol de prisões Acaip pediu hoje explicações ao diretor do centro penitenciário por este espetáculo, realizado no dia 2 de janeiro.

A Acaip denuncia que a dançarina ficou totalmente nua no palco, participou de "brincadeiras eróticas" com os detentos, e chegou a tocar os genitais de um grupo de reclusos.

O sindicato afirma que a apresentação se transformou em "um espetáculo pornô escandaloso".

A Acaip lembrou ainda que nos pavilhões oito e dez da penitenciária, que foram os que presenciaram o espetáculo, há vários presos condenados por crimes contra a liberdade sexual e abuso.

A secretária-geral de Instituições Penitenciárias, Mercedes Gallizo, solicitou um relatório ao diretor da prisão de Picassent, Ramón Cánovas, sobre este espetáculo, exigindo uma explicação.

O sindicato de prisões assegura que a apresentação foi presenciada por uma das subdiretoras de tratamento do centro, que não ordenou sua interrupção.

A versão da Direção Geral de Instituições Penitenciárias assinala que durante a apresentação não aconteceu qualquer incidente, e o comportamento dos detidos foi "completamente normal". EFE ca/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.