Espanha inaugura a primeira presidência rotativa da UE pós-Tratado de Lisboa

A Espanha inaugurou nesta sexta-feira uma nova era da União Europeia (UE) ao assumir durante seis meses a primeira e delicada presidência temporária posterior ao Tratado de Lisboa, que dota os 27 de um presidente permanente, o belga Herman Van Rompuy.

AFP |

A Espanha, que assumiu a presidência da UE à meia-noite do dia primeiro, fixou uma dupla prioridade em seu mandato: fazer funcionar o Tratado de Lisboa e promover o retorno ao crescimento econômico diante do aumento persistente do desemprego na Europa.

"Neste período de seis meses, nós nos propomos e aspiramos conseguir um fortalecimento da UE, principalmente no governo econômico da EU, com uma cooperação dos 27 na política e na criação de empregos ", resumiu o presidente do governo, o socialista José Luis Rodriguez Zapatero, também debilitado pela crise.

A aplicação do Tratado de Lisboa, que tem por objetivo reforçar o peso da UE no mundo globalizado em que potências como Brasil ou China desempenham um papel crescente, se anuncia delicada.

Ao manter a presidência por turnos semestrais por país, apesar da criação de um cargo de presidente permanente, o tratado instaura uma direção bicéfala suscetível de gerar atritos.

Além disso, o presidente da Comissão Europeia, o português José Manuel Durão Barroso, parece decidido a não perder seu protagonismo no bloco ante a nova responsável pela diplomacia, a britânica Catherine Ashton.

pal/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG