Espanha foi o país da UE que mais recebeu imigrantes em 2006

Bruxelas, 18 nov (EFE).- A Espanha foi o país da União Européia (UE) que mais recebeu imigrantes em 2006, um total de 803 mil pessoas, e o quarto com maior índice de imigração (18,1 por mil habitantes), segundo um estudo divulgado hoje pelo escritório de estatística europeu, Eurostat.

EFE |

O segundo lugar foi da Alemanha (558,5 mil) e o terceiro, do Reino Unido (451,7 mil).

Somados, estes três países corresponderam a 60,4% de todos os 3 milhões de imigrantes que entraram na UE em 2006.

Quanto à procedência, 60% vinham de outros países europeus.

Em toda a UE, o maior fluxo de imigração em 2006 foi de poloneses (10%), seguido pelo de romenos (8%) e de marroquinos (5%), segundo os números do Eurostat.

No caso de Portugal, 27% dos imigrantes que chegaram ao país eram brasileiros.

Em 17 dos 24 países da UE com dados disponíveis, a maioria dos imigrantes era de cidadãos de países de fora do bloco europeu.

Eslovênia (90%), Romênia (86%) e Portugal (84%) figuram à frente desta categoria.

Por outro lado, 84% dos imigrantes que chegaram a Luxemburgo eram de cidadãos europeus, seguido de 77% da Irlanda e 57% da Alemanha.

Por sexo, os números do Eurostat indicam que as mulheres emigram com idade mais avançada que os homens (quatro anos de diferença em média, de 28 e 32), fato que se passa tanto entre o grupo de cidadãos europeus quanto de fora da UE.

Por idade, a Dinamarca acolheu os imigrantes mais jovens, com média de 27,8 anos, mas a idade média foi mais elevada em países do centro e leste da Europa (como Eslovênia e República Tcheca), que receberam principalmente pessoas procedentes de países de fora da UE, como Bósnia e Ucrânia, respectivamente. EFE rcf/wr/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG