Espanha faz vigílias por acidente; brasileiro está entre vítimas

O brasileiro Ronaldo Gomes da Silva está entre as 153 pessoas que morreram no acidente de avião no aeroporto internacional de Barajas em Madri, na Espanha, na quarta-feira. A informação foi confirmada nesta quinta-feira pelo Itamaraty, que a recebeu do Ministério do Interior da Espanha.

BBC Brasil |

Segundo a assessoria de imprensa do Itamaraty, o consulado do Brasil está tentando entrar em contato com a família do brasileiro, mas ainda não há outras informações sobre a vítima.

Moradores de Madri realizaram vigílias nesta quinta-feira em homenagem aos mortos no pior desastre aéreo da Espanha em 25 anos.

Cinco minutos de silêncio foram realizados no centro da capital espanhola, em frente à prefeitura, e no aeroporto internacional de Barajas, onde aconteceu o acidente.

O governo espanhol decretou três dias de luto.

Sobreviventes
O primeiro-ministro, José Luis Rodríguez Zapatero, visitou alguns dos 19 sobreviventes no hospital. Quatro deles continuam em "estado grave", segundo o jornal espanhol El País.

Nesta quinta-feira, o corpo de um bebê foi retirado dos destroços do avião segundo a TV espanhola. Dois bebês e 20 crianças estavam a bordo do avião que seguia para Las Palmas, nas Ilhas Canárias, segundo um comunicado da Spanair.

O avião da empresa aérea - com 173 pessoas a bordo - derrapou e saiu da pista ao tentar decolar pela segunda vez. Acredita-se que o motor esquerdo pegou fogo na decolagem.

Investigadores começaram a analisar os destroços e as caixas-pretas recuperadas do avião.

Um porta-voz da Spanair, Javier Mendoza, disse que houve um superaquecimento em uma válvula de entrada de ar durante a primeira tentativa de decolagem, mas afirmou que o problema foi resolvido antes da segunda tentativa.

Segundo a imprensa espanhola, uma comissão independente foi formada para investigar a causa do acidente.

O avião MD82 de 15 anos havia passado por uma inspeção de segurança em janeiro.

Identificação
Em um necrotério improvisado em um centro de conferências perto do aeroporto de Barajas, há muita emoção entre os que esperam uma confirmação sobre o que aconteceu com seus familiares.

O correspondente da BBC em Madri Steve Kingstone disse que muitos dos familiares das vítimas expressaram revolta contra a Spanair, responsabilizando a empresa pelo acidente.

Especialistas dizem que o trabalho de identificação dos corpos deverá ser demorado porque muitos corpos estão seriamente queimados. Até agora, 25 teriam sido identificados.

"O pior é a identificação dos corpos", disse o porta-voz da Cruz Vermelha, Jesus Lopez Santana, ao jornal El Mundo. "É o fim de toda a esperança."
A Spanair divulgou um número de telefone (0034 800 400 200) para dar informações a familiares de passageiros que estavam a bordo do avião.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG