MADRI (Reuters) - A Alta Corte espanhola determinou nesta segunda-feira a extradição para a Argentina de um piloto acusado de atirar presos políticos de aviões para o mar durante o regime militar no país (1976-83). Julio Alberto Poch, de 57 anos, foi preso no ano passado na Espanha depois que um juiz argentino viajou à Europa e conversou com colegas de Poch, que relataram que ele se gabava de ter atirado presos dopados no rio da Prata ou no oceano Atlântico.

Poch, tenente reformado da Marinha, também tem cidadania holandesa, o que o protegeu da extradição até que pousasse na Espanha em 22 de setembro, numa escala com destino à Holanda.

Ele trabalha para a companhia aérea holandesa Transavia, subsidiária da Air France-KLM.

"Poch atirou várias pessoas vivas para fora de aeronaves e helicópteros que ele pilotava como oficial aeronaval na Marinha argentina entre 1976 e 80", disse nota da Justiça espanhola.

Em audiência judicial na semana passada, Poch negou as acusações, mas aceitou a extradição.

O governo argentino estima que 11 mil pessoas tenham morrido ou desaparecido durante a repressão a adversários do regime militar, época que ficou conhecida pelo nome de Guerra Suja.

(Reportagem de Martin Roberts)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.