Espanha extradita piloto à Argentina por crimes da ditadura

MADRI (Reuters) - A Alta Corte espanhola determinou nesta segunda-feira a extradição para a Argentina de um piloto acusado de atirar presos políticos de aviões para o mar durante o regime militar no país (1976-83). Julio Alberto Poch, de 57 anos, foi preso no ano passado na Espanha depois que um juiz argentino viajou à Europa e conversou com colegas de Poch, que relataram que ele se gabava de ter atirado presos dopados no rio da Prata ou no oceano Atlântico.

Reuters |

Poch, tenente reformado da Marinha, também tem cidadania holandesa, o que o protegeu da extradição até que pousasse na Espanha em 22 de setembro, numa escala com destino à Holanda.

Ele trabalha para a companhia aérea holandesa Transavia, subsidiária da Air France-KLM.

"Poch atirou várias pessoas vivas para fora de aeronaves e helicópteros que ele pilotava como oficial aeronaval na Marinha argentina entre 1976 e 80", disse nota da Justiça espanhola.

Em audiência judicial na semana passada, Poch negou as acusações, mas aceitou a extradição.

O governo argentino estima que 11 mil pessoas tenham morrido ou desaparecido durante a repressão a adversários do regime militar, época que ficou conhecida pelo nome de Guerra Suja.

(Reportagem de Martin Roberts)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG