Espanha estuda retirar europeus do Haiti em 1º avião enviado

La Granja (Espanha), 14 jan (EFE).- O Governo espanhol afirmou hoje que estuda a possibilidade de retirar um primeiro grupo de cidadãos europeus no avião que viajou na quarta-feira à noite rumo ao Haiti com equipes de resgate e uma carga de ajuda humanitária para atenuar os danos do terremoto.

EFE |

O secretário de Estado espanhol para a União Europeia (UE), Diego López Garrido, informou sobre este plano na entrevista coletiva ao final da reunião de ministros para a Europa ontem e hoje na localidade de La Granja, ao norte de Madri.

"Estamos avaliando que esse avião possa retirar cidadãos da UE do Haiti", disse López Garrido.

O secretário não deu mais dados sobre quantos cidadãos espanhóis e de outros países da UE integrariam este grupo.

López Garrido acrescentou que estão sendo estudados os aspectos logísticos para que esta repatriação possa ser feita o mais rápido possível.

O terremoto de 7 graus na escala Richter aconteceu às 19h53 de Brasília da terça-feira e teve epicentro a 15 quilômetros de Porto Príncipe, a capital do Haiti. O primeiro-ministro do país, Jean Max Bellerive, cifrou o número de mortos em "centenas de milhares".

O Exército brasileiro confirmou que pelo menos 14 militares do país que participam da Missão de Estabilização das Nações Unidas no Haiti (Minustah) morreram em consequência do terremoto.

A brasileira Zilda Arns, fundadora e coordenadora da Pastoral da Criança, ligada à Igreja Católica, também morreu no tremor. EFE cpg/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG