Espanha entra em alerta especial após atentados

A polícia na Espanha está em alerta especial, depois de dois atentados com bomba em menos de 48 horas nesta semana. Os dois ataques foram atribuídos ao grupo separatista basco ETA, que completa 50 anos nesta sexta-feira, apesar de ninguém ter assumido a autoria.

BBC Brasil |

Na quinta-feira, dois guardas civis foram mortos quando um carro explodiu em frente a um quartel da polícia na cidade turística de Palma Nova, na ilha de Mallorca.


Carro ficou destruído após explosão que matou 2 policiais / Reuters

Outro carro-bomba havia explodido na quarta-feira , destruindo grande parte de um prédio usado como alojamento de policiais na cidade de Burgos, no norte da Espanha. Mais de 50 pessoas ficaram levemente feridas.

Após o atentado de quinta-feira, as autoridades fecharam portos e aeroportos em Mallorca, para prevenir que os autores do atentado fugissem. A medida provocou transtornos para os turistas.

A Espanha está no auge da sua temporada de verão, e muitas forças de segurança estão ocupadas nas áreas turísticas do país.

ETA

O ETA foi criado em 1959 por estudantes radicais bascos. Desde o seu surgimento, o grupo já foi responsabilizado pela morte de 820 pessoas na sua campanha por um País Basco independente da Espanha.

O atentado de quinta-feira não foi reivindicado por nenhum grupo. Mas o premiê espanhol, Jose Luiz Rodriguez Zapatero, disse que o ataque tem características do Eta.

"Eu quero condenar este novo golpe baixo com muita raiva e dor, mas também com muita determinação", disse Zapatero, em pronunciamento na televisão.

"O ataque criminoso vem em um momento quando as guardas civis e a polícia nacional, com a cooperação de forças de segurança francesas, estão lutando contra o grupo terrorista [ETA] como nunca antes."
Zapatero disse que integrantes do ETA estavam sendo "presos mais cedo e em maior número, e que isso é que continuará acontecendo".

"O governo deu ordens para que as forças de segurança estejam em alerta máximo, para duplicar o seu trabalho, para aumentar ainda mais os seus esforços e se protegerem destes assassinos vis", disse.

Zapatero

"Eles não têm nenhuma chance de se esconderem. Eles não conseguem fugir. Eles não conseguem evitar a Justiça. Eles serão presos. Eles serão sentenciados. Eles passarão o resto das suas vidas na prisão."
O atentado de quinta foi o que causou o maior número de mortes desde dezembro de 2007.

Nos últimos meses, o governo espanhol estava anunciando que o ETA estava em um momento frágil, após a prisão de supostos comandantes do grupo.

No entanto, os ataques dos últimos dias reverteram este sentimento na Espanha, segundo o correspondente da BBC em Madri, Steve Kingston. Para o correspondente, se os atentados forem mesmo do ETA, o grupo estaria mostrando que pode atacar em diversas partes da Espanha, do norte ao sul e também em território insular.

Leia mais sobre Espanha

    Leia tudo sobre: eta

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG