Espanha e Portugal prendem acusados de exploração sexual de brasileiras

A polícia espanhola prendeu dez pessoas, nove na Espanha e uma em Portugal, que exploravam sexualmente mulheres procedentes do Brasil e do leste da Europa em clubes da cidade de Salamanca, no oeste do país.

EFE |

Um dispositivo policial hispânico-luso desarticulou a rede de exploração sexual de mulheres, que quando chegavam à Espanha eram obrigadas a saldar uma "dívida" de 8 mil euros (aproximadamente US$ 11 mil) em clubes de Salamanca e de Portugal, segundo informaram nesta sexta-feira fontes policiais.

As investigações começaram por causa da denúncia de três mulheres que foram enviadas do Brasil pelos membros da rede.

Os agentes averiguaram que os responsáveis pelo grupo desenvolviam também parte de suas atividades em Portugal, por isso entraram em contato com as forças de segurança do país vizinho.

O braço espanhol da rede estava na localidade de Fontes de Oñoro (na província de Salamanca), onde havia dois clubes para exploração sexual.

Além disso, o grupo tinha numerosos contatos, no Brasil e na Romênia, que facilitavam a captação das vítimas, em sua maioria brasileiras e cidadãs de países do leste europeu.

A rede operava desde a chegada das mulheres à espanha, quando os membros as levavam aos clubes na Espanha, onde logo após a chegada lhes retiravam a "Bolsa de viagem" (dinheiro e uma reserva hoteleira) e lhes informavam das supostas despesas por conta de sua mudança à Espanha.

Esta "dívida" chegava a 8 mil euros, e aumentava a cada dia por uma quantidade fixa supostamente em troca de comida e alojamento.

No entanto, segundo a polícia, as mulheres conviviam em condições de aglomeração - quatro pessoas por quarto, em péssimas condições de higiene - e além disso eram coagidas, ameaçadas e até agredidas pelos integrantes da rede.

Leia mais sobre exploração sexual

    Leia tudo sobre: exploração sexual

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG