Madri, 24 mar (EFE).- O ministro de Assuntos Exteriores espanhol, Miguel Ángel Moratinos, disse hoje que seu país não encara a Venezuela como um inimigo, e sim o grupo terrorista ETA.

A afirmação foi uma crítica ao opositor Partido Popular (PP), que continua questionando a colaboração judicial e policial do Governo de Hugo Chávez na luta contra o terrorismo.

Moratinos avaliou a cooperação de Caracas contra a ETA durante a sessão de controle ao Governo no Congresso espanhol (Câmara Baixa), em resposta a uma pergunta do porta-voz de Exteriores do PP (principal força da oposição), Gustavo de Arístegui.

O ministro espanhol voltou a pedir ao PP que apóie o Governo neste assunto, por se tratar de uma política de Estado.

Moratinos também assegurou que as autoridades venezuelanas estão trabalhando com a Polícia espanhola desde o momento em que o juiz espanhol Eloy Velasco denunciou "indícios" de cooperação da Venezuela com a ETA e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

"O que queremos é derrotar a ETA. O inimigo não é a Venezuela, o inimigo é a ETA, e (o Governo espanhol) está disposto a trabalhar com todos os países, incluindo a Venezuela, para derrotar a ETA. E conseguiremos isso com esforços diplomáticos e policiais", ressaltou.

Como prova da boa disposição de Caracas, o chefe da diplomacia espanhola citou a visita esta semana a Madri do vice-ministro venezuelano de Relações Exteriores para a Europa, Temir Porras, para colaborar com a Polícia.

Moratinos ainda contrapôs a atitude de Arístegui com a do líder do PP, Mariano Rajoy, que em sua recente visita à Colômbia "pediu um pouco de prudência" na questão da luta contra a ETA.

Diante do pedido do ministro ao PP de "respeito e compromisso" neste assunto, Arístegui respondeu que as "únicas lições" que o Governo espanhol pode dar são "de incompetência, arrogância, ineficácia, improvisação e falta de rumo".

Segundo o porta-voz da legenda opositora, existe uma "crescente evidência" de que o Governo venezuelano coopera com a ETA e as Farc.

EFE cpg/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.