Espanha diz que EUA entendem sua retirada de tropas de Kosovo

VIÑA DEL MAR, Chile (Reuters) - A retirada das tropas da Espanha em Kosovo é um capítulo encerrado para os Estados Unidos, que garantiu entender a recente decisão de Madri de remover seus militares de modo escalonado, afirmou neste sábado um porta-voz do governo espanhol. Segundo o funcionário, foi isso o que disse o vice-presidente norte-americano, Joseph Biden, ao presidente do governo espanhol, José Luis Rodríguez Zapatero, em uma reunião realizada como parte da cúpula de Líderes Progressistas, no Chile.

Reuters |

Houve uma "compreensão total da decisão da Espanha", disse o porta-voz.

A Espanha integrou a missão da Otan em Kosovo desde sua constituição, dez anos atrás. Nesse período estiveram presentes na região cerca de 22 mil militares espanhóis. O contingente atual tem pouco mais de 600 soldados.

Kosovo, cuja população é majoritariamente albanesa, declarou unilateralmente sua independência da Sérvia em fevereiro do ano passado. Depois disso, o novo Estado foi reconhecido por 22 dos 27 membros da União Européia (UE). Só faltam Espanha, Grécia, Chipre, Eslováquia e Romênia.

Durante seu encontro neste sábado, Biden e Zapatero concordaram em iniciar uma nova etapa nas relações bilaterais depois da chegada do presidente Barack Obama à Casa Branca e também reforçaram os compromissos entre os EUA e a União Europeia.

"Meu governo está entre os que facilitarão as coisas para a agenda que o presidente Obama tem pela frente porque o êxito do presidente Obama é o êxito de boa parte dos objetivos que o mundo tem neste momento", disse Zapatero aos jornalistas no encerramento da reunião, no Chile.

(Reportagem de Patricia Vélez)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG