Aranjuez (Espanha), 21 jul (EFE).- O diretor do Centro Nacional de Inteligência (CNI, o serviço secreto espanhol), Alberto Saiz, afirmou hoje que a ameaça de terrorismo islâmico é maior que há quatro anos, embora tenha destacado que estão melhor preparados agora para combatê-la.

A Espanha sofreu em 11 de março de 2004 uma série de atentados contra quatro trens de Madri, nos quais morreram 191 pessoas e mais de 1.800 ficaram feridas.

"Na Espanha, todos os grupos terroristas islâmicos que atuam na Europa estão tendo algum tipo de atividade ", disse o diretor do CNI acrescentando que "é um país apontado pelos terroristas como alvo".

"Embora os atentados de 11-3 tenham sido perpetrados por células independentes da jihad internacional, posteriormente desativamos tentativas de atentados que eram encomendadas pela Al Qaeda", explicou Said.

O diretor do CNI ressaltou que "nesta ordem mundial, em que a ameaça terrorista é uma realidade, o cidadão tem um papel fundamental no processo de integração do imigrante muçulmano" e por isso, é possível colaborar neste sentido "para evitar os radicalismos". EFE rat/bm/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.