Espanha descarta usar força militar contra Irã

Berlim, 24 jan (EFE).- O ministro de Assuntos Exteriores espanhol, Miguel Ángel Moratinos, excluiu a possibilidade de recorrer à força militar contra o Irã, caso este país se recuse a suspender seu programa nuclear, e defendeu a via diplomática.

EFE |

"Tudo deve se movimentar dentro da via diplomática. Toda aventura militar deve ser excluída", afirmou Moratinos, em declarações ao semanário alemão "Welt am Sonntag", por ocasião da Presidência rotativa espanhola da União Europeia (UE).

O ministro espanhol expressou sua confiança de que o Irã "reaja positivamente" às ofertas de diálogo da comunidade internacional e que responda à "mão estendida" oferecida pelo presidente dos Estados Unidos, Barack Obama.

Importante é, para Moratinos, que a UE dê uma resposta unitária e que a comunidade internacional se mostre coesa.

Por outro lado, o ministro considera fundamental que haja uma "evolução positiva" por parte de israelenses e palestinos frente à estabilidade da região e faz referência aos "intensos esforços" da Administração de Obama para que sejam oferecidas "perspectivas à paz".

Moratinos, que fala de sua amizade com o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, afirma que confia em sua "vontade de negociar", destaca que essa é também a intenção do presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, e conclui que a Europa "deve trabalhar e impulsionar" a solução baseada em dois Estados onde a paz seja possível. EFE gc/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG