Espanha declara 27 de junho dia de vítimas do terrorismo

MADRI (Reuters) - Grupos políticos da Espanha concordaram nesta quinta-feira em declarar 27 de junho como o dia das vítimas de terrorismo em memória à data de morte da primeira vítima do grupo separatista ETA. O anúncio foi feito em meio a uma homenagem às 191 vítimas fatais dos ataques de 11 de março de 2004 contra a rede ferroviária de Madri, na Espanha.

Reuters |

"Hoje, 11 de março, trazemos à Câmara dos Deputados a lembrança do atentado que aconteceu há seis anos e com ele trazemos também a recordação dos atos terroristas cometidos na Espanha", afirmou o presidente da Casa, José Bono.

"A lembrança nos salva e protege de um segundo crime, que seria o esquecimento. Mantemos viva a memória para honrar os mortos, para reconfortar os vivos e para aborrecer os assassinos", afirmou.

A escolha do dia se deve ao fato de que em 27 de junho de 1960, o ETA cometeu um atentado que causou a morte de Begoña Urroz, uma criança de 22 meses, em San Sebastián, lembrou Bono.

O presidente do governo espanhol, José Luis Rodríguez Zapatero, seus ministros e o presidente do Senado, Javier Rojo, participaram do ato.

Doze mochilas com bombas explodiram na manhã de 11 de março de 2004 em quatro trens da empresa Cercanías de Madri nas estações de Atocha, Santa Eugenia e El Pozo, causando a morte de 191 pessoas e deixando quase 2 mil feridos, em ataques perpetrados por militantes islâmicos.

(Reportagem de Teresa Larraz, Blanca Rodríguez e Edgar Aribau)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG