Madri, 9 nov (EFE).- A ministra da Defesa espanhola, Carme Chacón, confirmou hoje a morte de dois soldados de seu país na província afegã de Herat, vítimas de um atentado suicida que deixou também outros quatro feridos, um deles em estado grave.

Em declaração institucional, Chacón disse que um dos mortos é o cabo primeiro Rubén Alonso Ríos, mas não informou as identidades dos outros, porque ainda não foi possível comunicar a notícia a seus parentes.

Os soldados espanhóis foram vítimas do ataque de um suicida, que dirigia uma caminhonete com explosivos e atacou um comboio da Força Internacional de Assistência à Segurança (Isaf), informou à Agência Efe uma fonte oficial afegã.

Outros quatro soldados do comboio e um civil que estava nas proximidades ficaram feridos no atentado, que ocorreu no distrito de Shindand, no sul de Herat, acrescentou o porta-voz da Polícia do oeste afegão, Abdul Raouf Ahmadi.

O comboio conjunto de forças afegãs e da Isaf patrulhava pela zona de Aziz Abade quando foi atacado, segundo a fonte, que acrescentou que um dos tanques ficou completamente destruído.

Os insurgentes talibãs assumiram imediatamente o atentado com um comunicado colocado na internet, que afirmava que o comboio atacado era americano.

O autor do atentado é identificado como mulá Habibullah, residente da província, segundo o comunicado, que identifica os soldados atacados como americanos e afirma que o suicida causou a morte de "vários" soldados ocupantes do tanque destruído.

Na zona de Shindand, a mais conflituosa da província de Herat, operam tanto tropas da Isaf, sob mandato da Otan e da qual a Espanha participa, quanto coalizão dirigida pelos Estados Unidos no Afeganistão.

Com a morte destes dois soldados, já é de 87 o número de militares espanhóis que morrerams no Afeganistão desde a chegada de tropas, em janeiro de 2002. EFE lo-ja/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.