Espanha confirma absolvição de 4 em atentados a trens em Madri

MADRI (Reuters) - O Supremo Tribunal da Espanha confirmou na quinta-feira a absolvição de Rabei Osman El Sayed, Mohamed, o Egípcio, e de outros três homens acusados de serem os autores intelectuais do atentados de 11 de março de 2004 contra trens de Madri. A promotoria havia acusado os quatro de serem os cabeças por trás dos ataques em que morreram 191 pessoas e ficaram feridas mais de 1.800. A ação é considerada o pior atentado relacionado à rede Al Qaeda ocorrido na Europa.

Reuters |

Ninguém foi condenado pela autoria dos ataques.

Sayed também foi absolvido da acusação de pertencer a uma organização terrorista por já ter sido sentenciado anteriormente na Itália pelo mesmo crime.

'As modificações realizadas foram de caráter técnico. Houve alguns pontos divergentes, mas a sentença (do Supremo Tribunal) confirma as opiniões defendidas desde o princípio pela associação 11-M', afirmou José María Fuster Fabra, advogado do 11-M Atingidos pelo Terrorismo, que reúne famílias das vítimas.

O veredicto da corte mais alta da Espanha, que revisava uma sentença de outubro do ano passado, inocentou quatro dos réus e condenou um outro. Com isso, 18 das 28 pessoas processadas devido aos ataques com bombas acabaram sendo condenadas.

O Supremo Tribunal, no veredicto de 900 páginas divulgado na quinta-feira, não determina quem foram os autores intelectuais dos atentados.

Nem modifica as principais condenações: como autores materiais, o ex-mineiro das Astúrias Emilio Suárez Trashorras por fornecer os explosivos e os marroquinos Jamal Zougam e Otman el Gounai por plantar ou transportar as bombas nos trens.

Todos foram sentenciados a milhares de anos de prisão, dos quais cumprirão um máximo de 40 anos, segundo prevê a legislação espanhola.

(Por Emma Pinedo)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG