As autoridades espanholas autorizaram pela primeira vez a seleção de embriões em tratamentos de fertilidade, para evitar que os futuros bebês tenham câncer, informaram fontes do ministério da Saúde.

A Comissão Nacional de Reprodução Humana Assistida autorizou este tipo de seleção para evitar dois casos precisos: que um bebê tenha um futuro câncer de mama ou de tireoide.

"É um dia histórico para a saúde", afirmou o secretário-geral da Saúde, José Martínez Olmos, para quem as duas decisões são "portadoras de esperanças para famílias que enfrentam problemas importantes de saúde".

Ele completou que decisões deste tipo serão adotadas caso por caso e do ponto de vista científico.

A Comissão Nacional aprovou o uso da técnica para que um casal possa ter uma filha livre de mutações genéticas que predispõem o câncer de mama, os BRCA1 e BRCA2.

O segundo caso autorizado pretende evitar um tipo de câncer de tireoide, induzido de maneira "familiar" pelos genes herdados dos pais.

Leia mais sobre câncer

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.