MADRI (Reuters) - Quatro supostos integrantes do grupo separatista ETA foram detidos em Portugal e na França em duas operações que permitiram encontrar uma van carregada com explosivos e um esconderijo da quadrilha armada, informou neste domingo o governo espanhol. Duas detenções foram feitas pela Guarda Nacional Republicana de Portugal, que fora avisada pela Guarda Civil espanhola sobre um homem que fugiu depois de parar em um controle perto da fronteira norte entre ambos os países, no sábado à noite, quando dirigia uma van de placa francesa.

O homem, identificado como Garikoitz García Arrieta, aproveitou o momento em que os agentes espanhóis estavam inspecionando o registro e o chassi do veículo para fugir em um carro de patrulha da Guarda Civil em direção a Portugal, onde finalmente foi detido.

Na van havia 10 quilos de PETN, material usado para fabricar explosivos, várias armas e documentos, informou o Ministério do Interior.

Horas depois foi detida em Portugal Iratxe Yañez Ortiz de Barrón, quem iria atuar na explosão do veículo e cuja imagem apareceu em um dos cartazes distribuídos com os integrantes do ETA mais procurados pela polícia.

"Já sabemos o que o ETA está fazendo, essas detenções demonstram o que estão fazendo, e o ETA sabe o que nós estamos fazendo", disse o ministério do Interior, Alfredo Pérez Rubalcaba, em uma entrevista coletiva em Madri.

A segunda operação foi conduzida pelas forças de segurança espanholas e francesas, que vigiavam há meses uma zona do departamento de Puy-de-Dome, no centro da França, devido à constatação de uma concentração de veículos abandonados supostamente por integrantes do ETA, e numerosos roubos.

Dois dos integrantes mais procurados, Iñaki Iribarren Galbete e Eider Uruburu Zabaleta, foram detidos em uma região de floresta perto de Clermont-Ferrand no momento em que estavam retirando dinheiro de um esconderijo.

As detenções se somam a outras duas nos últimos três dias e depois de críticas direcionadas a Rubalcaba, que foi tachado de alarmista quando avisou, na semana passada, de uma possível ação iminente do grupo separatista basco.

(Reportagem de Inmaculada Sanz)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.