Londres, 15 abr (EFE).- O espaço aéreo britânico permanecerá fechado pelo menos até as 6h no horário local de sexta-feira (3h em Brasília), com exceção dos voos de emergência, anunciou hoje o Serviço de Controle do Tráfego Aéreo Nacional (NATS).

O NATS adotou a medida após constatar que os ventos seguem na direção do Reino Unido, ao sul, empurrando para a região as cinzas de um vulcão em erupção na Islândia.

As restrições impostas podem ser ampliadas e será realizada uma nova estimativa às 19h local (16h, Brasília) de hoje.

Milhares de passageiros foram afetados pela suspensão de todos os voos no Reino Unido e só um pequeno número de aviões aterrissou e decolou antes da suspensão, às 10h local (7h, Brasília).

Uma porta-voz do NATS disse que "ninguém lembra de outro momento antes no qual o espaço aéreo tenha estado fechado no Reino Unido", nem sequer durante os atentados de 11 de Setembro de 2001 nos Estados Unidos.

"Trata-se de uma das restrições mais significativas conhecidas na história do tráfego aéreo", disse a porta-voz, que negou que a medida seja exagerada. "Não pensamos de nenhuma maneira que reagimos com excesso. A segurança é nossa prioridade principal e a cinza vulcânica é uma séria ameaça para os aviões", afirmou o porta-voz.

Tudo indica que se os ventos não mudarem, os problemas para o tráfego aéreo seguiram até sexta-feira e as autoridades aeroportuárias insistiram em pedir aos viajantes que se ponham em contato com suas companhias aéreas para esclarecer a situação.

Uma porta-voz da Easyjet confirmou o cancelamento de todos os voos para hoje e advertiu que os problemas continuarão na sexta-feira e durante o fim de semana.

No que se refere à saúde pública, os analistas acreditam que não há um risco sério. No entanto, caso as cinzas cheguem até a superfície podem afetar às pessoas com problemas respiratórios, como os asmáticos.

O doutor Dougal Jerram, da Universidade de Durham, advertiu em declarações à agência local de notícias "PA" que no século XVIII a erupção de outro vulcão islandês causou a morte de milhares de pessoas na Europa.

Jerram se referiu à erupção entre 1783 e 1784 do vulcão Laki, que lançou 120 milhões de toneladas de dióxido de sulfureto na atmosfera, aproximadamente o equivalente ao triplo de produção deste gás por parte da indústria europeia na atualidade.

"Por causa de uma condição climatológica pouco frequente, ao se espalhar o gás criou uma densa neblina que se estendeu pela Europa Ocidental, resultando em milhares de mortes entre 1783 e o inverno de 1784", lembrou.

"A cinza pode causar sérios problemas de saúde, mas a grande altura da coluna de cinza que há sobre o Reino Unido indica que é o tráfego aéreo e não o povo que sofrerá", disse.

Jerram explicou que "quando a cinza é expulsa a um alto nível na atmosfera pode alcançar os ventos de grande altitude e ser espalhada ao redor de todo o planeta".

"Esses ventos são exatamente o lugar por onde navegam os aviões comerciais e é por isso que eles estão impedidos de voar", explicou o especialista. EFE fpb/pb

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.