Esforços para normalizar as relações entre Suíça e Líbia continuam

Genebra, 22 ago (EFE).- Os esforços para conseguir a normalização das relações entre Suíça e Líbia, que passam por uma crise diplomática, continuaram, com a visita de uma delegação de Trípoli a Berna, informou hoje o Ministério de Assuntos Exteriores suíço.

EFE |

As relações entre ambos os países entraram em crise por causa de uma breve detenção, em meados de julho, de Hanibal Kadafi, filho do presidente Muammar Kadafi, que junto com sua esposa, foi denunciado por lesões corporais e ameaças contra dois de seus empregados.

Kadafi pagou uma fiança de quase 300 mil euros para sair da prisão.

O casal Kadafi estava em Genebra para que Aline Kadafi, grávida de quase 9 meses, desse à luz.

O último capítulo desta história foi a visita de uma delegação da Líbia liderada pelo secretário-geral do Ministério de Assuntos Exteriores Khaled Kaim, na semana passada.

Tratou-se da primeira visita de enviados de Trípoli, depois de a Suíça enviar missões para tentar resolver o conflito diplomático.

Segundo um comunicado do Ministério de Exteriores suíço, ambos os países concordaram em "continuar com as discussões bilaterais e pela via diplomática".

Esclareceu, no entanto, que é impossível determinar "quando essas discussões serão concluídas".

Dois executivos suíços que trabalham para uma multinacional na Líbia foram detidos após a detenção de Hanibal Kadafi em Genebra, e embora agora estejam livres, ainda não podem sair do país.

A Líbia mantém sua exigência de que Suíça se desculpe publicamente pela interpelação a Hanibal Kadafi, o que a Justiça de Genebra se nega a fazer. EFE is/gs

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG