Escudo antimísseis: Praga negocia com os EUA apesar das ameaças russas

O governo tcheco aprovou nesta quarta-feira um último acordo militar para a instalação em seu território de um radar antimísseis americano, num momento em que Moscou acabava de reiterar suas ameaças de retaliação contra os lugares onde serão colocados elementos do escudo de defesa americano.

AFP |

"Um guarda-chuva defensivo dos países europeus é necessário", destacou o primeiro-ministro tcheco, Mirek Topolanek, durante uma entrevista coletiva, antes de rejeitar qualquer "retórica de Guerra Fria".

O acordo militar Sofa (Status of Force Agreement), que pode ser assinado oficialmente em 19 de setembro, completa o acordo diplomático bilateral já firmado em julho por Praga e Washington para a instalação do radar, prevista para 2012.

"O radar é puramente defensivo, concebido para impedir a passagem de mísseis de longo alcance. Ele não pode, técnica ou militarmente, ser orientado contra um Estado como a Federação da Rússia, que dispõe de um arsenal de milhares de mísseis", garantiu o premier tcheco, reproduzindo a posição oficial dos EUA sobre o escudo.

Pouco antes da reunião do governo tcheco, o chefe das forças estratégicas russas, general Nikolay Solovtsov, voltou a criticar o projeto, que a Rússia considera uma ameaça direta a sua segurança.

"Não posso descartar que os locais onde ficarão elementos do escudo antimísseis na Polônia e na República Tcheca" sejam eventualmente atingidos por nossos mísseis intercontinentais, declarou Solovtsov em Moscou.

"Somos obrigados a tomar as medidas adequadas para não permitir, em nenhuma circunstância, a depreciação do potencial russo de dissuasão nuclear", acrescentou o general, citado pelas agências de seu país.

No fim de agosto, em um novo desafio aos norte-americanos, a Rússia realizou com sucesso um teste de lançamento com um míssil Topol, capaz de superar uma defesa antimísseis.

O general Solovtsov informou que a Rússia prevê realizar quatro testes com mísseis estratégicos até o fim deste ano, entre eles um com o novo míssil RS-24, capaz de levar várias ogivas.

Essas declarações foram dadas em um contexto de deterioração das relações entre Estados Unidos e Rússia, após o conflito russo-georgiano de agosto. A ira de Moscou com o projeto americano de escudo antimísseis se deve ao fato de Washington ter escolhido para suas futuras bases dois ex-países comunistas outrora integrados à esfera de influência soviética.

O radar antimísseis deve ser instalado na região de Brdy, cerca de 70 km ao sudoeste de Praga, em um terreno militar que abrigava, na época comunista, "mísseis com ogivas nucleares orientados na direção de cidades européias", como lembrou o próprio Topolanek nesta quarta-feira.

O acordo Sofa era a última etapa necessária para que o projeto de radar possa ser submetido ao Parlamento tcheco. A aprovação do projeto pelo Parlamento não é garantida já que, segundo pesquisas, dois terços dos tchecos são hostis à instalação do escudo americano.

sof/yw/tt

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG