Escritores pedem medidas para proteger as crianças de Darfur

(embargada até às 21.01 desta sexta, horário de Brasília) Londres, 11 abr (EFE).

EFE |

- Vários escritores de literatura infantil, entre eles a britânica J.K. Rowling e a alemã Cornelia Funke, pediram à comunidade internacional que tome medidas para proteger as crianças na região sudanesa de Darfur.

Por ocasião das manifestações previstas para este domingo em vários países quando se completa o quinto ano de conflito em Darfur, quatorze escritores de todo o mundo assinaram uma carta aberta para fazer este pedido em favor da infância.

Na carta, divulgada pela ONG "Crisis Action", os autores afirmam que crianças que mal acabaram aprender a andar viram suas casas serem destruídas, suas mães estupradas e seus pais assassinados.

Os pequeninos ficaram "traumatizados e vivem com medo", afirmam os signatários Mike Berenstain, Judy Blume, Gillian Cross, Anne Fine, Julia Golding, Michael Morpurgo, Daniel Pennac, Louis Sachar, Rawya Sadek, Amanda Sthers, R.L.Stine e Tracey West, além das já citadas J.K. Rowling e Cornelia Funke.

"É hora de mudar o relato. É hora de contar uma história distinta. Neste abril muitas crianças em Darfur completarão cinco anos sem nunca terem conhecido a paz. O mundo necessita despertar.

Durante muito tempo se permitiu o sofrimento destas crianças. Nossos políticos necessitam atuar em Darfur", afirmam os escritores.

Eles pedem que a comunidade internacional solicite um cessar-fogo imediato, a presença plena de uma força de paz das Nações Unidas, medidas contra os que bloqueiem esta operação e o apoio a um processo de paz justo.

"As crianças de Darfur não pediram esta guerra", declaram os autores, que também afirmam que, apesar dos horrores diários, os pequeninos ainda têm sonhos e esperanças. EFE vg/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG