Escrita pode indicar doença cardíaca, diz estudo

A escrita pode indicar doenças cardíacas, segundo um estudo da grafologista Christina Strang, apresentado na quarta-feira em um Congresso da International Graphology Society, em Melbourne. A grafologista analisou a escrita de 102 voluntários, 61 deles pacientes da clínica para doenças cardíacas do Poole Hospital, na Inglaterra, e 41 teoricamente saudáveis.

BBC Brasil |

Aos voluntários - em sua maioria na faixa dos 60 anos - foi pedido que escrevessem um texto sobre qualquer assunto de 100 palavras, usando o mesmo tipo de caneta e prancheta.

Strang analisou as últimas 30 palavras de cada texto, quando os voluntários já estariam relaxados, avaliando a pressão da caneta sobre o papel, intervalos na formação das letras, forma e mal-formação da letra "o" e os "Pontos de Descanso".

A conclusão foi de que, entre os pacientes com problemas cardíacos, havia um número significativamente maior de "Pontos de Descanso" registrados nas páginas, do que entre os voluntários saudáveis.

Os pontos são minúsculos. Os trechos manuscritos foram ampliados e analisados detalhadamente.

Outros sinais foram analisados, mas a evidência encontrada foi nos pontos, principalmente nas letras "a" e "o". A média desses pontos entre os pacientes foi quase o dobro da média entre os voluntários supostamente saudáveis.

A pesquisadora afirma que são necessários mais estudos, "mas as significativas diferenças na escrita provam que os pacientes da clínica tinham um número maior de 'Pontos de Descanso' em sua escrita do que o grupo de controle".

Strang vai continuar seus estudos e pretende identificar movimentos distintos da escrita para doenças cardíacas específicas, como e em que estágio pode ser vista a doença na escrita e se os sintomas pré-físicos ficam aparentes na escrita.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG