Escócia nega condicional a preso por atentado de Lockerbie

Londres, 14 nov (EFE).- O Tribunal de Apelação de Edimburgo (Escócia) negou hoje a liberdade condicional a Abdelbaset Ali Mohmed al-Megrahi, preso pelo atentado de Lockerbie, que havia solicitado sua libertação por razões humanitárias.

EFE |

Megrahi, condenado em 2001 pelo atentado contra um avião da companhia aérea Pan Am que explodiu sobre a região escocesa de Lockerbie em 21 de dezembro de 1988, havia pedido recentemente a liberdade, pois está com câncer de próstata em estado avançado.

Três juízes do tribunal recusaram a liberdade, que Megrahi confiava em obter enquanto continuar o processo contra sua condenação à prisão perpétua pelo ataque de Lockerbie, no qual 270 pessoas morreram.

Os juízes consideraram que o argumento sobre o estado de saúde do ex-agente líbio não é suficientemente convincente para conceder a liberdade condicional, já que tudo parece indicar que ele tem anos de vida pela frente.

Megrahi, que cumpre a pena na prisão de Greenock, teve um câncer com metástases diagnosticado no Royal Hospital, em Inverclyde.

O líbio, de 56 anos, recorreu à sentença de culpabilidade emitida no final do julgamento realizado em 2001, na Holanda, sob jurisdição escocesa, mas é possível que o resultado dessa apelação seja conhecido no próximo ano.

No entanto, a defesa de Megrahi afirmou que o líbio não tem muito tempo de vida, razão pela qual deveriam concedê-lo liberdade para que possa morar com sua família em Edimburgo enquanto recebe tratamento médico. EFE vg/fh/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG