Escândalo do leite derruba chefe de agência do governo chinês

O chefe da agência de controle de qualidade da China renunciou nesta segunda-feira em meio ao escândalo causado pelo leite em pó contaminado com a substância melamina, segundo a agência de notícias estatal Xinhua. De acordo com a Xinhua, Li Changjiang deixou o cargo com a aprovação do Conselho de Estado, o gabinete do governo chinês.

BBC Brasil |

O primeiro-ministro da China, Wen Jiabao, prometeu reformar a indústria de laticínios chinesa e melhorar a maneira como o setor é regulamentado.

Segundo o correspondente da BBC em Pequim, James Reynolds, a tentativa de reforma parece ter começado com a renúncia de Li.

Li Changjiang é o primeiro integrante do governo central a perder o emprego. A sua renúncia se segue à demissão de várias autoridades locais e à prisão de dezenas de pessoas envolvidas no fornecimento de leite contaminado.

Contaminação
Novos números divulgados pelo Ministério da Saúde da China nesta segunda-feira revelaram que quase 53 mil crianças chinesas ficaram doentes por consumir o leite em pó contaminado.

A imprensa local sugeriu que o novo número foi o resultado de um trabalho de checagem nos registros dos hospitais desde maio deste ano para identificar a origem da contaminação.

Cerca de 13 mil crianças permanecem hospitalizadas, de acordo com o ministério. Quatro morreram.

A maior parte das vítimas tem menos de dois anos de idade, e pelo menos 104 das que estão hospitalizadas se encontram em condições graves.

De acordo com o ministério, as crianças tomaram leite em pó do grupo Sanlu - empresa onde a contaminação foi inicialmente revelada há duas semanas.

Desde que o caso veio à tona, pelo menos outras 22 empresas se tornaram suspeitas de usar a mesma substância.

Outras empresas
Produtos das marcas Yili e Mengniu, entre outros, foram retirados das prateleiras dos supermercados.

Em Hong Kong, as duas principais redes de supermercados - Wellcome e Park'n'Shop - estão agora retirando produtos das marcas Nestlé, Dutch Lady e Mr. Brown.

Um jornal local, o Apple Daily, realizou um teste com leite da Nestlé e encontrou traços de melamina. O resultado foi depois confirmado por testes do governo.

"Devido ao baixo nível detectado, o consumo normal (desses produtos) não causará grandes ameaças à saúde", disse um porta-voz do Centro de Segurança Alimentar do governo chinês. "No entanto, não é aconselhável que crianças pequenas consumam o leite."
No domingo, a Nestlé disse em um comunicado que está "confiante" de que nenhum de seus produtos feitos na China esteja contaminado com melamina.

A empresa disse que tem, na China, o "mesmo controle de qualidade rigoroso que tem em outros países".

Pedras no rim
Uma menina de três anos em Hong Kong foi diagnosticada com pedras no rim depois de beber dois copos de leite Yili, rico em cálcio e com pouca gordura, por mais de um ano. Os sintomas da menina foram descritos como "moderados". Outros testes estão sendo realizados na região.

Em Taiwan, um tipo de café com leite solúvel chamado de "três-em-um", que contém açúcar e leite, foi retirado das prateleiras dos supermercados.

Em Cingapura, foram encontrados traços de melamina no doce de leite White Rabbit, feito na China, e a venda do produto foi interrompida.

Laticínios feitos na China também estão sendo retirados dos supermercados no Japão, na Malásia e em Brunei.

A melamina é normalmente usada na fabricação de plástico, mas pode ser adicionada a laticínios para fazer os níveis de proteína parecerem mais altos do que realmente são.

Especialistas dizem que o consumo de pequenas quantidades da substância não é prejudicial, mas o uso contínuo pode causar pedra no rim e insuficiência renal, especialmente entre os mais jovens.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG