LONDRES - A secretária britânica das Comunidades, Hazel Blears, anunciou nesta quarta-feira sua decisão de deixar o governo, agravando a impressão de que o primeiro-ministro trabalhista Gordon Brown está perdendo o controle sobre seu partido.

"Hoje eu disse ao primeiro-ministro que estou renunciando ao governo", disse Blears, responsável por assuntos dos governos locais, em nota divulgada na véspera de uma eleição local e europeia em que o Partido Trabalhista deve ser trucidado.

A secretária é mais uma vítima do escândalo envolvendo gastos supérfluos de políticos britânicos com dinheiro público, que afeta todos os partidos, mas tem especial impacto sobre os trabalhistas, que parecem fadados a perder a eleição geral que deve ocorrer até junho de 2010.

Em maio, Blears aceitou pagar mais de 13 mil libras (US$ 21.590) em impostos pela venda de uma propriedade, depois das revelações sobre os gastos dos políticos.

Na terça-feira, uma fonte próxima à ministra do Interior, Jacqui Smith, disse que ela deixará o governo numa reforma ministerial a ser feita logo depois da eleição.

Em março, houve indignação popular devido à descoberta de que ela usara verbas parlamentares para pagar a locação de dois filmes eróticos para seu marido.

A renúncia das duas integrantes do gabinete coincide com um apelo do jornal Guardian, tradicionalmente simpático aos trabalhistas, pela saída de Brown. "A verdade é que não há visão para ele, nenhum plano, nenhum argumento para o futuro e nenhum apoio", disse o jornal.

Os britânicos estão furiosos pelo fato de os políticos terem usado as verbas públicas para pagar coisas como reformas de uma quadra de tênis e limpeza de um fosso.

Os trabalhistas, no poder desde 1997, estão com popularidade baixíssima, e as pesquisas indicam amplo favoritismo da oposição conservadora na próxima eleição geral, que Brown reluta em antecipar, alegando que antes precisa limpar o sistema político.

Leia mais sobre Grã-Bretanha

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.