Eritréia afirma que visita de Bashir mostra rejeição à ordem do TPI

Cairo, 23 mar (EFE).- O ministro da Informação eritreu, Ali Abdo Ahmed, afirmou hoje que a visita a seu país do presidente sudanês, Omar al-Bashir, tem o objetivo de mostrar sua rejeição à ordem de detenção do Tribunal Penal Internacional (TPI).

EFE |

Em declarações à rede de televisão catariana "Al Jazira", o ministro da Eritréia disse que seu país queria apoiar e mostrar solidariedade ao presidente sudanês, ao recebê-lo nesta visita.

Esta é a primeira viagem de Bashir ao exterior desde que o TPI ditou, em 4 de março, uma ordem de detenção por crimes de guerra e lesa-humanidade durante o conflito em Darfur, no oeste do Sudão.

"Nós e todos os estados africanos que apoiamos Bashir consideramos que a ordem de detenção contra ele é uma provocação direta contra o povo e os países do Chifre da África", disse.

Ahmed acusou a ONU e seu conselho de Segurança de ser um instrumento dos países do Ocidente a serviço de seus interesses.

"A ONU se transformou em uma organização ineficaz, porque seu Conselho de Segurança é utilizado pelos Estados Unidos, França e Reino Unido para conseguir a hegemonia mundial e a dominação dos outros países", afirmou o ministro da Eritréia. EFE nq-jrg/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG