Pequim, 27 fev (EFE).- As equipes de resgate resgataram hoje o último cadáver da mina de carvão de Tunlan, onde, no fim de semana passado, aconteceu uma explosão de gás que deixou 78 mortos, informou a agência estatal de notícias Xinhua.

No momento da explosão, no domingo passado, 436 trabalhadores estavam dentro do poço, dos quais 358 sobreviveram, entre eles 114 feridos que ainda permanecem hospitalizados.

A mina fica na cidade de Gujiao, a 50 quilômetros de Taiyuan, capital provincial de Shanxi (norte da China), e três de seus responsáveis foram afastados dos cargos após o acidente.

A dependência da China em relação ao carvão obriga a cavar cada vez em maior profundidade, onde é fácil ocorrer explosões de gás, enquanto o Governo reconhece que 80% dos 16 mil poços chineses operam de forma ilegal, sem observar as normas de segurança do trabalho.

Estes fatores são a causa que o setor do carvão chinês seja o mais letal do mundo, com 3,214 mil mortos no ano passado, segundo dados da Administração Estatal de Segurança do Trabalho. EFE mz/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.