terremoto de 7,4 graus que causou 57 mortes, 400 feridos e milhares de desabrigados, segundo a mais recente apuração oficial." / terremoto de 7,4 graus que causou 57 mortes, 400 feridos e milhares de desabrigados, segundo a mais recente apuração oficial." /

Equipes procuram por sobreviventes do terremoto de Java

SUKASETIA - As equipes de resgate removeram nesta quinta-feira escombros de casas à procura de sobreviventes e desaparecidos na área da ilha de Java, mais atingida pelo http://ultimosegundo.ig.com.br/mundo/2009/09/03/mortes+por+terremoto+na+indonesia+chegam+a+57+8242927.html target=_topterremoto de 7,4 graus que causou 57 mortes, 400 feridos e milhares de desabrigados, segundo a mais recente apuração oficial.

Redação com agências internacionais |

As equipes de soldados, bombeiros, médicos, além de voluntários, não chegaram às localidades mais remotas, onde se têm pouca ou nenhuma informação de como se encontram os moradores desde que ocorreu o forte tremor de 20 segundos de duração na última quarta-feira.


Voluntários vasculham destroços na Indonésia / AP

Uma das últimas áreas em que Exército indonésio chegou foi à aldeia de Sukasetia, onde Adang - os indonésios costumam ter apenas um único nome -, de 57 anos, vasculhava os entulhos em que foi transformada a casa de seu filho, sem desviar o olhar do local onde morreu seu neto Hendra, de 6 anos, o local onde ficava o fogão.

"Ele (o neto) estava aí, com sua mãe, que estava cozinhando quando começou o tremor e a casa caiu por cima deles. Os escombros quebraram a perna dela, mas o pequeno não sobreviveu", contou Adang, enquanto removia tijolos, ladrilhos e madeiras quebradas.

"Não dormimos a noite toda, estávamos todos aqui velando a criança. Sua mãe, seus dois irmãos e seu pai, que trabalha em Jacarta, e retornou assim que soube do terremoto", prosseguiu seu relato.

Hendra é a única vítima da localidade e sua mãe está entre os nove feridos de Sukasetia, um povoado humilde encravado em uma remota área montanhosa.

Os outros habitantes, embora tenham saído ilesos, acabaram perdendo suas casas. Muitos deles tinham a moradia como sua única posse, junto às escassas terras nas quais cultivam arroz.

"Acolhi cerca de 40 vizinhos no jardim da minha casa, porque não têm para onde ir", revelou Ombi, de 44 anos, enquanto terminava de fixar uma lona de plástico a uma árvore para proteger os desabrigados do sol e da chuva.

Em Tasikmalaya, a maior das cidades atingidas, pelo menos 18 prédios, 16 mesquitas e uma escola corânica, segundo a Polícia Nacional, foram destruídos ou estão inabitáveis. Outras metrópoles prejudicadas são Cianjur, Garut, Sukabumi, Bandung, Bogor e Ciamis.

A imprensa local revela que o número de imóveis danificados deve superar as 10 mil unidades.

"Muitos dos que perderam suas casas estão acomodados com familiares ou passaram a noite em mesquitas", explicou Taufik, um indonésio dono de um restaurante em Cipatujah, uma aldeia litorânea situada frente ao epicentro do terremoto.

Dos 57 mortos, cerca de 20 permanecem nos escombros das avalanches que ocorreram nos arredores de Cianjur e Garut, onde as autoridades acreditam que ainda existem pessoas soterradas possivelmente com vida.


População de vilarejo observa resgate de corpos

Ajuda aos desabrigados

Com o avanço do Exército, da Polícia e de funcionários do governo, os desabrigados começaram a receber barracas, cobertores, primeiros socorros e alimentos.

Agumas equipes colaboraram também na remoção dos escombros de casas com a ajuda dos próprios vizinhos, instalados em abrigos temporários em várias localidades.

As autoridades estimam que os números definitivos devem se aproximar dos atuais, talvez um pouco acima, isso porque alguns lugares ainda estão isolados e as possibilidades de encontrar pessoas com vida e desaparecidos diminui com o passar do tempo.

Série de terremotos

O terremoto de ontem foi o maior registrado em Java desde o ocorrido em Yogyakarta em 2006, que causou cerca de 6 mil mortos, embora tenha atingido os 6,2 graus na escala Richter.

A Indonésia está situada sobre o Anel de Fogo do Pacífico, uma área com grande atividade sísmica e vulcânica que é sacudida por pelo menos 7 mil tremores por ano, a maior parte moderados.

Em 26 de dezembro de 2004, um sismo de 9 graus gerou um tsunami que castigou cerca de dez países banhados pelo Oceano Índico, causando 226 mil mortos, 170 mil deles na Indonésia.

* Com EFE

Leia mais sobre terremoto

    Leia tudo sobre: indonesiaterremoto

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG