Equipes encontram caixas-pretas de avião que caiu no Irã

Por Fredrik Dahl TEERÃ (Reuters) - Duas caixas-pretas bastante danificadas foram recuperadas do avião de uma companhia aérea iraniana que caiu e matou as 168 pessoas a bordo, informou a imprensa oficial na quinta-feira.

Reuters |

A causa do acidente da quarta-feira, o pior no Irã em seis anos, ainda era desconhecida, segundo a emissora estatal em língua inglesa Press TV.

O avião, um Tupolev de fabricação russa, ia em direção à Armênia quando pegou fogo em voo e caiu numa área rural 16 minutos após a decolagem.

A aeronave da Caspian Airlines explodiu com o impacto, e pedaços de metal e dos corpos incinerados de 153 passageiros e 15 tripulantes estavam numa grande área em volta de uma cratera fumegante.

O site da Press TV citou uma autoridade que teria dito que as duas caixas, que podem conter pistas vitais para explicar o acidente, estavam bastante danificadas, mas as autoridades trabalhariam para tentar recuperar os dados contidos nelas.

As buscas por uma terceira caixa-preta ainda continuavam, segundo a agência de notícias semioficial Fars.

A maioria das pessoas a bordo era de iranianos, mas também haviam cidadãos armênios e georgianos.

O vice-ministro dos Transportes Ahmad Majidi disse que exames de DNA serão necessários para identificar os restos mortais. Oito integrantes da equipe júnior de judô do Irã e dois treinadores dessa seleção estão entre os mortos.

"Todas as partes de cadáveres recolhidas, espalhadas pelo local do acidente, foram entregues ao instituto médico legal (da cidade) de Qazvin e serão transferidas ao instituto médico legal de Teerã hoje", disse.

Cerca de 40 parentes e amigos de vítimas da tragédia planejavam voar de Yerevan, capital da Armênia, a Teerã nesta quinta-feira, disse o representante da Caspian Airlines Arlen Davudyan à Reuters no aeroporto de Yerevan.

A maioria deles estava vestido de preto. Não estava claro se eles iriam ao local do acidente, ao norte de Teerã.

"Perdi meu melhor amigo. Ele era quase um irmão... Estou indo a Teerã para prestar minhas condolências à mulher e aos filhos dele", disse Mehdi Sohrabi, um iraniano de 27 anos que estuda na Armênia.

Os Estados Unidos, arquirrival do Irã, prestou condolências na quarta-feira às famílias das vítimas. Washington não tem relações diplomáticas com a República Islâmica, mas tem tentado se aproximar do país na tentativa de levá-lo a negociar sobre seu programa nuclear.

(Reportagem adicional de Hashem Kalantari em Teerã e Hasmik Mkrtchyan em Yerevan)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG