Equipes de resgate aumentam esforços para salvar 700 isolados por tufão

As equipes de emergência de Taiwan enviaram nesta quarta-feira helicópteros para tentar retirar 700 pessoas isoladas em vilarejos devastados por deslizamentos de terra e lama, ao mesmo tempo que o balanço da passagem do tufão Morakot pela ilha subiu para 67 mortos, 61 desaparecidos e 45 feridos.

AFP |

O balanço inclui dois pilotos e um técnico que morreram na queda de um helicóptero de socorro na terça-feira. Mas não inclui as quase 100 pessoas que, segundo as equipes de resgate, podem ter ficado soterradas após um deslizamento de terra no vilarejo de Hsiaolin, sul do país.

"Na noite de terça-feira encontramos 700 pessoas vivas em três vilarejos e outras 26 esta manhã. Mobilizamos 25 helicópteros para evacuar estas pessoas", declarou o general Richard Hu. Mais de 17.000 soldados participam na operação.

Os trabalhos de resgate foram interrompidos ao meio-dia desta quarta-feira em consequência das fortes chuvas, depois que 173 pessoas foram socorridas, segundo fontes militares.

O general Hu afirmou não ter condições de confirmar o número de pessoas soterradas em Hsiaolin.

A imprensa chegou a informar o número de 600 pessoas sepultadas no vilarejo, mas a notícia não foi confirmada pelas autoridades.

O tufão Morakot, que atravessou Taiwan durante o fim de semana passado, antes de chegar a China, provocou as piores inundações nos últimos 50 anos na ilha. Vilarejos inteiros foram tomados pelas águas. Várias estradas foram cortadas e diversas pontes desabaram, isolando muitas localidades.

O Morakot provocou prejuízos milionários ao setor agrícola de Taiwan e nesta quarta-feira pelo menos 30.000 residências estão sem energia elétrica e outras 750.000 sem abastecimento de água.

Além disso, oito pessoas morreram na China em consequência da passagem do tufão.

No Japão, 15 pessoas faleceram na passagem de outro tufão, o Etau. Além disso, 17 pessoas continuam desaparecidas no oeste do país e o balanço do terremoto de terça-feira no centro do território nipônico é de um morto e 122 feridos.

A guarda costeira japonesa, policiais e militares procuram desaparecidos em um rio da cidade de Sayocho, no centro-oeste, a região mais afetada pelo tufão.

O tremor de terça-feira atingiu a magnitude de 6,4 graus e provocou a morte de uma mulher no distrito de Shizuoka.

afp/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG